11Bets+

Volta às Aulas Papelix

Papelix

Pesquisar no blog

Você Repórter!

Você Repórter!

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Um furo - Lula não esteve no Ceará

A notícia furada de que o ex-presidente do Brasil, Lula e sua esposa dona Marisa, estavam no Ceará, mas precisamente na praia de Jericoacoara, não passou de uma furada. Dezenas de órgãos, estiveram na Pousada Calango a procura do ex-presidente. enquanto todo mundo procurava Lula em Jericoacoara, ele se preparava para assistir o Jogo do Corinthians . Essa notícia de Lula no Ceará não passou de uma tremenda furada.

Blog do Wilson Gomes

ATRASO NAS OBRAS DO AEROPORTO DE JERI

Uma notícia não muito boa para o turismo cearense foi a decisão da Procuradoria Geral do Estado de anular a licitação que estava em curso para a construção do terminal de passageiros do futuro Aeroporto Internacional de Jericoacoara.
Isso retardará ainda mais o cronograma da obra: a construção da pista, já licitada, ainda não começou e nem deverá começar enquanto perdurarem as chuvas.

Salário de Lula como dirigente do PT pode chegar a R$ 21 mil


O salário do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como dirigente do PT poderá chegar a R$ 21 mil, caso o partido conceda aos seus executivos o mesmo aumento de 61,83% aprovado pelo Congresso para deputados e senadores. Há forte pressão na seara petista por um reajuste na remuneração dos integrantes da Executiva Nacional, mas o valor ainda não foi definido.

Ayrton Vignola/AELula pode chegar a ganhar R$ 21 mil no PT
Depois de deixar o Palácio do Planalto, Lula retornou à condição de presidente de honra do PT e já ganhou, neste mês, salário de R$ 13 mil, pago pelo partido, conforme informou ontem o jornal Folha de S. Paulo. Até o fim de 2002, ele também recebia remuneração do PT como dirigente da sigla.

O reajuste dos integrantes da Executiva petista segue, tradicionalmente, o mesmo porcentual pago aos parlamentares. É por esse motivo que secretários do PT pregam aumento de 61,83% para seus próprios vencimentos, sob a alegação de que os salários estão defasados.

"Esse assunto não está na ordem do dia no PT", afirmou o presidente do partido, José Eduardo Dutra, que ganha R$ 13 mil por mês. No momento em que o governo briga para segurar o aumento do salário mínimo em R$ 545, a possibilidade de reajuste para a cúpula do PT é um assunto que provoca polêmica pelo alto teor de desgaste.

Endividamento. O tesoureiro do PT, João Vaccari Netto, diz achar "muito difícil" a concessão do reajuste agora, já que a legenda herdou uma dívida de cerca de R$ 27,7 milhões da campanha de Dilma Rousseff à Presidência da República.

Em tempos de austeridade fiscal, até mesmo a festa para comemorar os 31 anos do partido, no próximo dia 10 - quando Lula será homenageado e voltará a receber oficialmente o título de presidente de honra do partido -, será mais modesta.

Mesmo assim, a pressão pela elevação dos salários na direção petista continua. Em conversas reservadas, há quem defenda a equiparação pura e simples com os vencimentos dos deputados, senadores, presidente, vice e ministros, o que faria as remunerações saltarem para R$ 26.723,13.

Para ser aprovado, o aumento ainda terá de passar pelo crivo do diretório nacional petista. Atualmente, o ex-presidente Lula recebe, além dos vencimentos como dirigente do PT, duas aposentadorias: uma como anistiado político e outra por ter perdido um dedo em serviço, quando era torneiro mecânico. As duas aposentadorias somam R$ 9 mil por mês.

SELEÇÃO BRASILEIRA DE VÔLEI EM SOBRAL


Em encontro ocorrido no gabinete do prefeito de Sobral Veveu Arruda na semana passada, com novo gerente da agência centro do Banco do Brasil, Marcos Vieira e o secretário do Esporte e Juventude, Eugenio Pacelli, os mesmo trataram da apresentação da Seleção Brasileira Masculina de Vôlei, que acontecerá ainda este ano em nosso município.
O desafio terá a união do BB em parceira com a Prefeitura que irão viabilizar um jogo da Seleção Brasileira Masculina de Vôlei, que é patrocinada pelo Banco do Brasil.

AL-CE: Deputado Duquinha deve fazer parte da mesa diretora

Faltando pouco mais de 48 horas para o início da nova legislatura na Assembleia Legislativa, os partidos estão concluindo as discussões em torno dos cargos para a Mesa Diretora e as comissões técnicas.
O deputado Roberto Cláudio, que deve ser eleito presidente da Casa em fevereiro, está conduzindo essas indicações junto outros representantes do PSB, José Albuquerque e José Sarto que provavelmente comporão a Mesa.

Ontem, foi a vez da bancada do PDT se reunir com os três representantes do PSB na Assembleia. Estiveram presentes também os pedetistas Heitor Férrer, Ferreira Aragão, Delegado Cavalcante e o presidente estadual da legenda, André Figueiredo. Na Mesa, o partido terá uma vaga de vogal.

Comissão
Na reunião ficou acertado que a deputada Patrícia Saboya ficará na presidência da Universidade do Parlamento Cearense (Unipace) e Delegado Cavalcante comandará a Comissão de Defesa Social, enquanto Ferreira Aragão, segundo Heitor Férrer, deverá ficar a frente da Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Publico e Heitor poderá voltar a comandar a Comissão de Direitos Humanos.

Até amanhã, de acordo com o deputado eleito Danniel Oliveira (PMDB), o bloco formado pelo PMDB, PRP, PTN e PSDC fechará os cargos que ocuparão na Casa. Até agora, informa o peemedebista, eles têm garantido a segunda secretaria da Mesa Diretora, que ficará com Lucílvio Girão ou com Neto Nunes, nome que ainda tenta reverter decisão do Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE) que o tornou inelegível.

O bloco também conquistou a Comissão de Indústria, Comercio, Turismo e Serviço, que será dirigida por Danniel Oliveira. O grupo também espera comandar o colegiado da Saúde, que deverá ser entregue ao deputado Carlomano Marques (PMDB).

Tucanos
Na próxima sexta-feira é a vez dos tucanos se reunirem com os representantes do PSB, segundo informações do presidente estadual do PSDB, deputado federal Raimundo Gomes de Matos. Na pauta do encontro será oficializado os cargos que o PSDB tem direito nas Comissões e na Mesa Diretora.

O grupo definiu junto aos governistas que vai ficar a 3° e a 4° secretarias, que serão exercidas por João Jaime e Téo Menezes, respectivamente. Os tucanos ainda deverão ter duas ou três comissões, segundo Matos.

O bloco articulado pelo vice-prefeito Tin Gomes (PHS), que foi eleito deputado, também já se reuniu o PSB. O grupo, formado pelos partidos PHS, PMN, PCdoB, PRB, PTB e PSL, tem garantida a segunda-vice presidência, que vai ficar com o próprio Tin, enquanto o deputado Duquinha (PRB) deverá ser indicado como uma vogal na Mesa Diretora. Eles ainda reivindicam as comissões de Meio Ambiente e Agropecuária.

O bloco formado pelo PV e PTdoB também já se reuniu com os deputados do PSB. O grupo também pleiteia a comissão de Meio Ambiente e espera colocar como vogal da Mesa, Paulo Facó (PTdoB). O PT, segundo informações do deputado Dedé Teixeira, ainda não chegou a um consenso junto aos demais governistas sobre quais funções os petistas irão exercer.

domingo, 30 de janeiro de 2011

Ex Presidente Lula Passa o Fim de Semana em Jericoacoara

O ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva está no Ceará. Veio passar o fim de semana com dona Marisa na praia de Jericoacoara (Litoral Oeste). Ele havia manifestado esse desejo para o governador Cid Gomes (PSB) durante sua última passagem pelo Estado, ocasião em que lançou a pedra fundamental para o processo de instalação da futura refinaria premium.
Lula é hóspede da conhecida Pousada Calango. Ele desembarcou ontem à noite em Fortaleza e seguiu direto para Jeri.

Fonte: Blog do Eliomar

sábado, 29 de janeiro de 2011

Polícia apreende dezenas de caixas de DVDs e CDs piratas em Acaraú

Os acusados tentaram esconder a mercadoria, mas foram pegos e conduzidos até a delegacia do município

Por volta das 11 horas desta sexta-feira (28), uma operação policial deflagrada para combater a venda ilegal de DVDs e CDs piratas no município de Acaraú, conseguiu apreender a mercadoria que estava em uma banca. Em seguida, ao encontrar um caminhão Mercedes Benz, os policiais do ronda do quarteirão encontraram várias caixas de DVD’s e CD’s, um aparelho de DVD da marca Sony, e uma caixa amplificadora da marca MLL 100. Np total foram apreendidos 6 mil cds e dvds.

A operação trabalhou com a informação de que na feira livre de Acaraú existiam várias bancas de venda de produtos ilegais. Ao chegar no local, os policiais verificaram que a feira já estava sendo encerrada devido à chuva. Mesmo assim, ainda encontraram uma banca abandonada, onde estavam os DVDs e CDs. Populares informaram que os donos daquela banca fugiram ao avistar a busca, e que esconderam o restante do material em um caminhão branco.

As pessoas envolvidas foram conduzidos até a delegacia regional de Acaraú. A delegada Plantonista, Bela. Malake Tanos, informou que em virtude de o dono da banca não ter sido preso, seria lavrado um Boletim de Ocorrência com a apreensão de aproximadamente seis mil mídias áudio visual pirata (1300 cd’s e 4700 dvd’s), bem como o material acima descrito.

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Acaraú: 3º CD do Distrito LA-4 será realizado neste sábado e domingo (29/30 de Janeiro)


Faltam apenas três dias para a 3ª Reunião do Conselho Distrital - Ano Leonistico 2010/2011 que se realizará entre os dias 29 e 30 de Janeiro de 2011 terá a coordenação da CaL Rita Andrade e do CL Paulo Andrade (Lions Clube de Acaraú).
O evento será realizado no Auditório do Centro Vocacional Tecnológico – CVT, na Av. José Giffoni da Silveira, n° 1000 - Acaraú/CE. A Taxa de Inscrição para os participantes é de R$ 20,00 (vinte reais) e terá direito à Pasta, Pin, Lanche, café e água durante o evento. São esperadas cerca de 300 companheiros leões de diversas cidades do Ceará.
Durante os dois dias haverá Seminario da ACEL, Palestra sobre a Carcinicultura, Passeio a Fazenda Cacimbas (Pioneira na Carcinicultura no Ceará), Noite de Companheirismo, Reunião do Conselho Distrital e muito mais.
O PIN do evento tem a arte do CL Jhônata Adams (Lions Clube de Acaraú)e representa não só o leonismo realizado em Acaraú e no nosso Ceará através do simbolo maior do lions, mas principalmente relembra uma das belezas do nosso Acaraú, a garça no alto do mangue no por do sol.

A imagem representa a Toponímia do nosso municipio, Rio das Garças. A origem do topônimo Acaraú é indígena, sendo resultado da fusão de "Acará" (Garça) e "Hu" (Água), significando, portanto, “Rio das Garças”.

Teria habitado às margens desse rio o grupo indígena brasileiro chamado Camamus, atualmente extinto.

O PIN trás ainda como patrono o CL Monsenhor Edson Magalhães, sócio fundador do Lions Clube de Acaraú.
Visite o site do Lions clube de Acaraú

Rio Acaraú inunda áreas em Morrinhos

Morrinhos. As comportas do Rio Acaraú, em Sobral, foram abertas na tarde de terça-feira, devido ao grande volume de água que recebeu no dia. Como consequência, as águas do rio inundaram áreas no Município de Morrinhos, onde centenas de famílias amanheceram ilhadas.

A enchente seguiu por todo o percurso até desaguar no Oceano Atlântico, no Município de Acaraú. Segundo a coordenação da Defesa Civil de Morrinhos, moradores das localidades situadas à margem esquerda do rio foram as mais afetadas, mas pessoas que moram na margem direita, no lado da sede, também sofrem com a cheia. "A situação já começa a trazer preocupação. Esperamos contar, a partir de agora, com a colaboração da Defesa Civil do Estado para amenizar a situação", disse o coordenador local, Ossian Dias.

Ele informou que várias crianças não puderam ir à escola ontem por conta da enchente. "O prefeito Jerônimo Brandão já está providenciado a retirada dessas famílias para um local mais seguro", afirmou.

O comerciante José Dimas dos Santos, dono de um bar na margem direita do rio, contou que a água começou a subir por volta das 23h e que houve pouco tempo para retirar as mercadorias. O bar ficou parcialmente submerso. "Quando vi que a água estava subindo corri para retirar cadeiras e mesas. Muita mercadoria foi arrastada pela água e aquilo que ficou está debaixo d´água agora", disse José Dimas, que na manhã de ontem procurava salvar o que ainda restava dentro do barraco.

Resgate

A Defesa Civil acredita que pelo menos 500 famílias das localidades de Jucumanso, Poço Branco, Salgado, Espinho dos Lopes, Tucunduba e Beira Rio foram afetadas. Ossian Dias adiantou que se essas pessoas não forem retiradas num prazo de três dias a situação poderá se complicar. "Nós adquirimos um barco para auxiliar no resgate dessas pessoas que se encontram nesse momento ilhadas", disse o prefeito Jerônimo Brandão, que visitou a área ribeirinha na manhã de ontem.

Para o secretário da Infraestrutura de Sobral, Irismar Azevedo Filho, a abertura das comportas foi necessária devido ao grande volume d´água que atingiu o leito rio. Para que a operação fosse realizada sem causar grandes danos, foram mobilizadas equipes do Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, da Secretaria da Infraestrutura e Cogerh.

"Abrimos as comportas de uma forma controlada a fim de evitar que enxurrada tomasse de conta do rio rapidamente", disse Irismar Filho. Até a manhã de ontem o nível do rio permanecia inalterado. Em Sobral, a cheia do rio assustou os moradores da Rua Benjamin, no Bairro Pedrinhas, abaixo das comportas. Por todo dia de ontem ficaram em sinal de alerta. De acordo com o coordenador da Defesa Civil no Município, Jorge Vasconcelos Trindade, um abrigo já foi improvisado para, no caso de inundação das residências situadas em área ribeirinha, os moradores serem removidos.

A Associação dos Municípios e Prefeitos do Estado do Ceará (Aprece) promove, hoje pela manha, reunião no auditório do BNB Passaré, em Fortaleza, para debater a quadra de chuvas deste ano e planejar ações preventivas contra possíveis calamidades. Participam prefeitos e representantes da Defesa Civil do Estado e Nacional, Funceme e prefeitos cearenses. À tarde, promove reunião inaugural com o novo presidente do TCM, Manoel Beserra Veras.

WILSON GOMES
COLABORADOR

Rio Acaraú inunda áreas em Morrinhos

As matrículas dos cursos superiores de Licenciatura em Física e em Ciências Biológicas ofertados pelo campus de Acaraú iniciaram no último dia 26 e seguem até o final de fevereiro, conforme cronograma do MEC que pode ser consultado no site sisu.mec.gov.br. O critério de ingresso dá-se por meio da nota do Enem-2010 mediante inscrição no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) do MEC. Em Licenciatura em Física, inscreveram-se 608 candidatos; e em Licenciatura em Ciências Biológicas, 671.
Caso constem em uma das listas geradas pelo Sisu para um dos cursos ofertados pelo IFCE em Acaraú, os candidatos selecionados deverão comparecer nas datas estipuladas à sede administrativa da instituição, situada na rua Cel. Duca da Silveira, s/n, no Centro do Município com a documentação exigida para efetivação da matrícula.
As matrículas nos cursos técnicos em Pesca, Aquicultura, Construção Naval e Serviços de Restaurante e Bar do campus de Acaraú, para o semestre 2011.1, ocorreram de 18 a 26 de janeiro. 120 alunos efetivaram suas matrículas. As aulas da sede reiniciarão no dia 14 de fevereiro, após Encontro com o servidor, que ocorrerá em 08 de fevereiro. Dúvidas sobre a matrícula do Sisu podem ser esclarecidas pelos sites sisu.mec.gov.br, http://www.ifce.edu.br/ ou pelos telefones (88)3661.1682/ 4103. Na imagem, matrícula no curso de Licenciatura em Ciências Biológicas.
Fonte: Blog do IFCE-Acaraú

ACARAÚ: Água que sai da criação de camarão é limpa

Reparem: o nível de qualidade da água que sai dos tanques do projeto de carcinicultura da Acquacrusta, em Acaraú, no litoral Norte do Ceará, “é melhor do que a que entra neles, graças à tecnologia utilizada: o uso de micro organismos benéficos para bioremediação efetiva sem impacto ambiental e com certificação da alemã Naturland e da suíça IMO”.
Quem o afirma é o técnico equatoriano Cesar Rupert, técnico equatoriano Cesar Ruperti, da Verde Acqua, que presta consultoria à cearense Acquacrusta.

Fonte: Blog do Egidio Serpa / Blog do Erasmo Andrade

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Matrículas são realizadas no IFCE em Acaraú

120 candidatos aprovados no exame de seleção dos cursos técnicos do campus do Instituto Federal do Ceará (IFCE), em Acaraú, para o semestre 2011.1 efetivaram suas matrículas. São ofertados, pela instituição, cursos técnicos nas seguintes áreas: Aquicultura, Pesca, Construção Naval e Serviços de Restaurante e Bar. Para os cursos superiores, a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem)-2010 foi adotada como critério de ingresso mediante inscrição no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) do MEC. Para o curso de Licenciatura em Física, há 608 inscritos; e para o curso de Licenciatura em Ciências Biológicas, 671 inscritos.
Caso constem em uma das listas de chamada do Sisu, os candidatos selecionados para um dos cursos superiores ofertados pelo campus de Acaraú deverão comparecer à sede administrativa da instituição, situada na rua Cel. Duca da Silveira, s/n, no Centro do Município com a documentação exigida para efetivação da matrícula. Não há taxas de inscrição nem mensalidades. Os candidatos devem ficar atentos às datas de divulgação das listas de selecionados e das matrículas, informação disponível no site sisu.mec.gov.br.
40 vagas não foram preenchidas nos cursos técnicos em Pesca e em Serviços de Restaurante e Bar. Provavelmente, em março, haja um novo exame de seleção complementar que será realizado após as matrículas dos cursos superiores. As aulas do semestre 2011.1 do campus do IFCE em Acaraú reiniciarão no próximo dia 14 de fevereiro. Dúvidas podem ser esclarecidas pelo site www.ifce.edu.br ou pelos telefones (88)3661.1682/ 4103. Na imagem, a chamada dos candidatos classificáveis, realizada no último dia 25 de janeiro.

Comportas são abertas no Acaraú


As quatro comportas do espelho d´água do Rio Acaraú foram abertas ontem em Sobral, município da Região Norte (distante 230Km de Fortaleza). Homens do Corpo de Bombeiros, acompanhados de integrantes da Defesa Civil, sob a orientação da gerência da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh), iniciaram a abertura das comportas uma a uma até que toda água acumulada começou a escoar por todo leito do rio em direção ao mar.

Temendo uma inundação, moradores da Rua Benjamin, no bairro Pedrinhas, em Sobral, ficaram por toda a noite em sinal de alerta. De acordo com o coordenador da Defesa Civil, Jorge Trindade, um abrigo foi improvisado para que, em caso de inundação das residências situadas em área ribeirinha, os moradores possam ser removidos.
Por conta da mobilização para a abertura das comportas, o trânsito sobre a ponte Othon de Alencar foi fechado nos dois sentidos por mais de duas horas.
A notícia de que o rio Acaraú estava enchendo, levou uma multidão para o espelho d´água. Em cima da ponte ou nas margens do rio, a população acompanhava o trabalho de vazão do principal afluente da cidade.
As cidades de Santana do Acaraú, Morrinhos, Marco, Bela Cruz, Cruz e Acaraú foram avisadas pelo Corpo de Bombeiro para retirarem os moradores ribeirinhos e lavarem para abrigos por precaução.


Fonte: Diario do Nordeste

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Tour pela Fazenda Cacimbas‏


Depois de um longo trabalho de captura de imagens, o grupo Nutrimar de propriedade do empresário Rubens Sales, está disponibilizando um tour virtual pela Fazenda Cacimbas, local do Festival Internacional do Camarão (Grand Shrimp Festival)!
É muito legal! Basta acessar o site! http://www.360z.com.br/tour/cacimbas/index.html e conhecer mais sobre a fazenda que sedia o maior festival do camarão do Brasil e uma das maiores produtoras do pais.
Obrigado ao amigo Rubens Sales pela indicação do site!

LANÇAMENTO: Eduardo Costa "Quem é?"

Recebi, e agora compartilho com vocês a nova música do Eduardo Costa, intitulada "Quem é?".
Ouça com exclusividade aqui no nosso blog e faça o download.



Aluna da EEEP Tomaz Pompeu premiada em concurso de redação

Rayassa Magdyelly Nogueira da Silva, 1º Ano B – Enfermagem (ano de 2010), participou de Concurso de Redação com o Tema – Afrodescendente, ficando colocada em 2º lugar. Como premiação realizará em Março de 2011, juntamente com o professor Estevão Silveira ( Disciplina de História), viajem ao Estado de Recife, onde visitarão o Museu da Abolição.

O Museu da Abolição - Centro de Referência da Cultura Afro-brasileira, é um museu brasileiro localizado no Recife, estado de Pernambuco. É um dos raros museus no Brasil a contemplar esta parte da história. Foi criado em 1957, no governo Juscelino Kubitschek, e inaugurado 26 anos depois, em 13 de maio de 1986.

Passou um tempo fechado, entre 1990 e 1996. Em 16 de setembro de 1996, no Dia do Patrimônio Cultural, foi reaberto à visitação pública.
Por proposta do diretor do Departamento de Museus e Centros Culturais (DEMU) do IPHAN, por portaria de 18 de julho de 2005, foi revitalizado e reinstalado em 20 de novembro de 2006, dia da Consciência Negra.

Fonte: Blog da EEEP Tomaz Pompeu de Sousa Brasil

Policia Civil de Acaraú apresentou balanço da operação que prendeu sete


A Polícia Civil apresentou, nesta segunda-feira (24), na Divisão de Homicídios, o resultado de uma operação realizada no Baixo Acaraú, onde traficantes acabaram presos.Foram eles: Raimundo Michel Gomes da Silva, 21; Pedro Santos Gomes da Silva, 20; o carioca Léo Gomes de Souza, 27; Renato Rodrigues da Silva, 22; Vandeberg Silva dos Santos, 19; e Edmilson Moreira de Souza, 20.

Bando tentava vingança

Com eles, a polícia ainda apreendeu 7 armas, dentre elas uma pistola ponto 45, de uso exclusivo das Forças Armadas, e uma pistola 380.

O bando tentava vingar a morte de Kiko, um dos mortos no triplo homicídio ocorrido no fim do ano passado, em Jijoca de Jericoacoara. Raimundo Michel Gomes da Silva e Pedro Santos Gomes da Silva são irmãos de Kiko.

Com informações da SSPDS.

Quadrilha fortemente armada é presa em Bela Cruz


Depois de uma denuncia anónima, a policia persegue suspeitos de Cruz a Bela Cruz. Ao chegar em Bela Cruz os bandidos entraram em uma estrada de terra e acabaram atolando o carro. Os suspeitos foram detidos e levados para a delegacia regional de Acaraú. Ao chegar na delegacia, os policiais realizaram uma busca minuciosa nos dois veículos que foram locados em Fortaleza e encontraram no foro dos carros varias armas de grosso calibre, inclusive uma ponto 40 de uso exclusivo das forças armadas, bastante munição e luvas. Sete homens foram presos, entre eles um menor.
Os bandidos confessaram que vinheram para a região para executar um traficante de nome Façanha que é suspeito da chacina que ocorreu em Jijoca. Entre os presos estão Michael e Pedro que são irmãos de kiko, um dos mortos da chacina em Jijoca.
Os dois irmãos e mais cinco amigos estiveram na praia do Preá colhendo informações com um homem identificado por Lino para tentarem localizar e executar Façanha que está foragido.
Seis homens estão presos em Fortaleza e o menor em Acaraú segundo informações.
Os sete homens teriam ainda invadido uma casa e tentado executar um homem na localidade de Araticuns em Bela cruz.
Com informações da Rádio Difusora

domingo, 23 de janeiro de 2011

ESPECIAL RIO ACARAÚ: Interiorização do ´Siará´ acompanha roteiro dos rios


Rio Acaraú. Quando o ilustre Martim fugiu da tribo dos Tabajara, porque Iracema não deveria dormir na sua oca, saiu pelas matas e passou pelas "frescas margens do rio das garças", conforme descreve o escritor José de Alencar no romance "Iracema". "Rio das Garças" é o significado da palavra Acaraú, que nasce da fusão das palavras tupis "Acará" (garça-branca-grande) e "Hu" (água), citado diversas vezes pelo escritor.

A partir da obra de José de Alencar pode-se constatar que a interiorização no "Siará" se deu através de seus rios, tendo o Acaracu, Acaraú ou simplesmente Rio das Garças, uma importância primordial neste contexto. Pero Coelho de Sousa ao chegar ao Brasil, em 1603, para administrar a Capitania do Siará, como era chamada a região correspondente às capitanias do Rio Grande, Ceará e Maranhão, escolheu a foz do Rio Pirangi, hoje Ceará, para se instalar, e depois transferiu-se para às margens do Jaguaribe.

Os rios ofereciam água, alimento, lazer e travessia. Desde o seu início, a ocupação do Ceará foi guiada, literalmente, pelos rios e pela atividade econômica. A cultura criatória ou pecuária foi a primeira atividade econômica motora para a ocupação do Estado, entre os séculos XVIII e XIX.

Com o crescimento econômico, surgiram as cidades de Aracati, Sobral, Icó, Acaraú, Camocim e Granja. Conforme conta o coordenador do curso de História da Universidade Vale do Acaraú (UVA), Agenor Soares Júnior, devido à demanda do mercado consumidor litorâneo, "as terras do interior passaram a ser alvos de especulação, produzindo um movimento de interiorização seguindo os principais rios e seus afluentes".

Com esses movimentos, as estradas para o interior da capitania começaram a se delinear, sempre atendendo ao curso dos rios. A ribeira do Rio Acaraú tornou-se estradas naturais perfeitas e propícias para o desenvolvimento cearense. No interior, o cenário também foi tomando forma: ranchos, vendas, bodegas, capelas, igrejas e moradias. A partir daí muitos lugarejos nasceram e deram início à cidades importantes.

Primeiras populações

Para o médico e historiador Barão de Studart, os fundadores e primeiros habitantes de Acaraú foram os pescadores vindos do Sul, atraídos pela fartura dos barcos pesqueiros.

As terras onde hoje se encontra o Município de Marco, antes eram ocupadas por índios, provavelmente os Tremembé. Em Nova Russas, uma fazenda de curtume deu origem ao povoamento e, hoje, cidade. Reriutaba antes fora a Fazenda Santa Cruz. A região era habitada pelos índios Reriú.

Já Santana do Acaraú deve seu nome e sua origem à santa homônima. Em 1626, o frei Cristóvão de Lisboa e sua comitiva passavam pela região, quando foram atacados por índios Tapuio, levando o grupo a refugiar-se nas terras do atual Município. No mesmo ano, a instalação da imagem da santa em um serrote indicava onde seria erguida sua capela. Em Varjota, credita-se o seu povoamento ao Padre Macário Bezerra, da Paróquia do Ipu, também com a construção de uma capela, entre os anos de 1834 e 1840.

"Princesa do Norte"

A origem da "Princesa do Norte", Sobral, tem dois viés. O historiador Agenor Soares Júnior diz que uma delas está relacionada a dois sesmeiros. "Segundo padre Sadoc de Araújo, Sobral teria origem com os descendentes dos sesmeiros Antônio da Costa Peixoto e Leonardo Sá, este último considerado o primeiro povoador da ribeira. Com eles, iniciam-se também doações de terras ao erguimento de capelas nas fazendas de suas propriedades, dando início, a uma lenta constituição de um patrimônio religioso".

A outra inicia com as doações de terras feitas pelo capitão Antônio Rodrigues Magalhães e Quitéria Marques de Jesus, no século XVIII, respondendo ao pedido do padre Lino Gomes Correia. "Casal proprietário da Fazenda Caiçara que, em resposta ao pedido do padre visitador Lino Gomes Correia, doou extensão de terras para a construção de uma igreja matriz que servisse como sede do curato da ribeira do Acaraú, marcando o início do desenvolvimento da região, surgindo um povoado ao redor do templo, atraindo famílias que vinham pela fertilidade da região e pelos serviços religiosos agora mais acessíveis", conta Soares sobre a formação de Sobral.

A partir das doações de terras, o povoamento de Sobral foi dividido em quatro curatos: Amontada, Coreaú, Serra dos Cocos e Caiçara - com a construção de igrejas e capelas neste locais.

"A configuração do povoamento foi produzida de acordo com a criação das capelas erguidas pelos fazendeiros e religiosos, sempre margeando os rios, tornando-se a gênese de várias cidades da região". Hoje, Sobral carrega a responsabilidade de ser um dos principais celeiros da Zona Norte e do Estado na cultura, política, economia e social. Tem o grande desafio, hoje, de recuperar e preservar aquele que foi responsável pela sua origem e seu desenvolvimento, o Rio das Garças.

GEO-HISTÓRIA

Práticas de povoamento ainda são mantidas

Entender o meio ambiente não diz mais respeito somente aos fatores naturais, como flora e fauna. A história também é importante. Um conceito moderno versa sobre uma relação direta entre componentes naturais, socioculturais e atividades humanas. Neste entendimento é que o geógrafo da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA), José Falcão Sobrinho, desenvolveu uma pesquisa, resultando em livro, intitulado como "A Geo-história Ambiental do Vale do Acaraú".

Entrevistando e contando a história de 300 agricultores da região - Josés, Joões, Antônios e Marias -, o autor chega a conclusão que "o ontem se repete no hoje". As mesmas práticas adotadas para povoar o Ceará, ainda hoje são mantidas por milhares de famílias no Vale do Acaraú. O latifúndio, concentração de terras, criação de gado, agricultura de subsistência, queimadas, desmatamentos, entre outros danos, continuam na prática das gerações contemporâneas.

Para Falcão, "o relevo contribui com informações a respeito da geo-história natural do Vale do Acaraú", e por isso a fixação das populações nas três áreas da bacia é diferente. No maciço (serras), a permanência de moradia é maior, com 90% dos entrevistados morando há mais de 30 anos no local.

No sertão, a flutuação da população é predominante, devido a questões climáticas e também à propriedade da terra. O autor explica que "no ambiente de maciço houve uma reforma agrária familiar (...). Na superfície sertaneja, há, assim, o contraste de uma área com um processo histórico atrelado ao latifúndio à flutuação da população".

Na ocupação do Vale do Acaraú, muitas questões sociais vivenciadas hoje foram inseridas desde o tempo da colonização e fortalecidas durante os anos. A mão-de-obra esteve sempre ligada a agricultores com baixo índice de conhecimento, fato este que influi na sua condição de vida, conforme descreve Falcão.

A cultura exploratória sempre esteve presente na história do rio, alcançando o ambiente e os que vivem nele. "Tão belo é o Vale do Acaraú, nas suas diversidades naturais e culturais (...). Mas que gera similitudes, fracionadas no intemperismo físico, (...), resseca e desagrega o solo e franje as rugas na face do sertanejo, mas não consegue desagregar a indiferença social", conta o autor.

Ligação

"Os grandes rios, Jaguaribe e Acaraú, constituiram a ligação entre interior e mar"
Agenor Soares Júnior
Coordenador do Curso de História da UVA


"O relevo contribui com as informações a respeito da geo-história do Acaraú"
José Falcão Sobrinho
Geógrafo e Pro-reitor de extensão da UVA

EMANUELLE LOBO
REPÓRTER

Diário do Nordeste

ESPECIAL RIO ACARAÚ: Lugar de sobrevivência e diversão para ribeirinhos


Um rio tem sempre múltiplos usos: pesca, para beber, oferecer alimento, navegar, desenvolver e entre muitas outras, para se divertir. A família Sousa sempre teve uma ligação forte com o Rio Acaraú, que trouxe prosperidade. Eles vivem bem próximo às nascentes, na Serra das Matas.

Esta família é uma daquelas que nasce e cresce no mesmo local. No quintal de casa plantam cebola, coentro, beterraba, cenoura e criam algumas cabeças de gado. Para eles, "é o melhor interior que tem. Não seca nunca. Quando chove fica tudo bem ´verdim´, a água escorrendo pela terra. Muda tudo", festeja o pai, Ademir Maciel de Sousa.

Para João Rodrigues do Nascimento, 56 anos, que todos os dias vai ao Açude Araras, em Varjota, pescar, as águas que abastecem o reservatório é tudo para sua família. Ele é pescador e desde os 15 anos trabalha no local, e da sua cultura criou os oito filhos. "Esse açude aqui é tudo na minha vida, porque tiro o pão de cada dia. No dia que eu não venho aqui, eu não fico satisfeito", disse.

No mesmo local, um grupo de estudantes olha curioso para seu João. Eles aguardam para seguir viagem pelas águas do Araras até a Ilha do Ezaú. Conta a lenda que Ezaú era um pescador que frequentava o local para pescar e um dia encontrou o pedaço de terra. Durante as chuvas e cheias fica ilhado dos Municípios de Hidrolândia e Varjota.

Lá fez morada e deu seu nome ao lugarejo. Todos os dias, o grupo de estudantes percorre o açude numa viagem que dura em torno de 45 minutos cada trecho, tempo suficiente para os amigos colocarem o assunto em dia. Os mais velhos são responsáveis por pilotar o barco. Já os mais novos olham atentos para aprender o ofício, outros seguem no teto observando o percurso, e os mais tímidos vão revendo o material da escola. O percurso é feito uma vez ao dia.

Em Cariré, o Rio Acaraú passa no Distrito Tapuio, separando-o da comunidade de Flores. No distrito, tem água encanada e energia. A população utiliza o leito para lavar roupa e como lazer, na maioria das vezes. A paraibana Francinete Luiz da Silva, 44 anos, mora no Tapuio há 21 anos. Vai ao rio duas ou três vezes por semana lavar roupa. Ela diz que "se não fosse esse rio a gente passava sede, não lavava roupa".

Nas margens, marcas de degradação: sacolas plásticas, queimada e bolsões de areia. Do lado de Flores, faltam água encanada e esgotamento sanitário. Energia tem, mas só dentro das casas. Além de pescar, lavar roupa e se divertir no Acaraú, a população também cozinha e bebe das águas que passam a poucos metros de casa.

Francisco Glayson da Silva, 15 anos, utiliza um método repassado pelos pais para pegar água do rio: faz um buraco raso na margem e retira a água que emerge. Ele diz que "a água sai mais limpa. Ela fica coada pela areia". É a partir deste trecho do rio que o lazer torna-se mais presente. Enquanto várias mulheres se desdobram para lavar roupas, crianças e adolescentes arriscam-se em saltos e jovens jogam vôlei bem no leito do rio.

Na passagem molhada entre Cariré e Groaíras, os balneários oferecem lazer e diversão aos banhistas durante os fins de semana. A Cabana do João é uma delas. O proprietário, João Batista do Nascimento Melo, montou uma estrutura para receber os clientes dentro do rio.

Ele garante que a barraca é provisória, permanece durante o período sem chuvas, e que é feita com materiais da própria natureza. E, ainda, que estimula os clientes a recolherem o lixo. "A gente pede para colocarem lixo nos cestos, recolhe, mas precisa de uma ajuda do poder público".

Em Sobral, o espelho d´água e a urbanização da margem esquerda do Rio Acaraú tornou a área ideal para prática de esporte e lazer. É um dos principais pontos de diversão dos sobralenses, que vão ao local manhã, tarde e noite. O lugar ganhou uma iluminação especial para embelezar ainda mais a entrada da cidade. Mas é um trecho que sofre abusos com a poluição.

Para o secretário do Comitê da Bacia Hidrográfica do Acaraú, João Batista do Espírito Santo, a obra ficou bela, mas com alguns prejuízos para os Municípios vizinhos. "É uma enorme fossa a céu aberto, porque não tem como conter os esgotos que caem dentro. Nós sofremos as consequências, porque tudo o que é depositado naquele espelho passa por aqui".

Beleza

Quando o Rio Acaraú chega ao seu destino final, na cidade que recebeu seu nome, a imagem é ainda mais bela. Um trajeto de cerca de sete quilômetros, do porto do Acaraú ao encontro com o mar, mostra a riqueza oferecida por este guerreiro. O trajeto no estuário é todo ladeado pelo mangue e acompanhado pelas garças - brancas e azuis, além da tradicional galinha d´água. Em alguns pontos as canoas paradas na beirada indicam a presença de homens na cata aos caranguejos.

Para alguns empresários, o local poderia ser melhor visitado e explorado pelo turismo. "Seria mais importante para o turismo se fosse mais explorado, com passeios. Tentamos fazer, mas falta iniciativa privada e do Governo. Tem que ter um certo investimento", afirmou o dono de pousada, João Ivo Ferreira Gomes Filho.

O piloto da embarcação São Francisco, também pescador, Raimundo Nonato Ferreira, confirma que "esse rio sempre teve muito fartura. Se a pessoa se dispôs a sair, vai achar o que comer. Aqui no rio está tudo na vida da gente". (E.L)

Protagonista
Raízes

A família de Ademir Maciel de Sousa e Francisca Nascimento de Sousa é daquelas que nasceram e se criaram no mesmo local. Às margens do Rio Acaraú, ainda hoje plantam o sustento da família: coentro, beterraba, cenoura e outros. Tudo que se planta, dá, garante os moradores, mesmo quando não chove. A terra arenosa do local garante o alimento da família e ainda sobra para comercializar nas feiras. A relação com a terra e o rio, nesta família, é repassada de geração em geração.

Diário do Nordeste

ESPECIAL RIO ACARAÚ: Fontes de trabalho e renda

DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO

Pesca, criatórios de camarão e de peixes, extração de mariscos e até a apicultura são atividades do Acaraú

Hidrolândia. Numa ocupação de áreas bastantes diferentes, com oscilação de altitude entre o nível do mar e 1.145m acima, na Serra das Matas, a Bacia Hidrográfica do Acaraú possibilita usos diferentes das populações. A mais tradicional, a piscicultura, contribui com milhares de famílias, como a de Edson Saraiva de Sena, conhecido como seu Edinho, morador da Ilha do Ezaú, no Município de Hidrolândia.

A ilha é banhada pelas águas do Rio Acaraú barrada no Açude Araras. Vindo de Mossoró, fez morada no local em 1961. De lá para cá, viveu e sustentou a família com a pesca e a agricultura. Em 2006, a apicultura surgiu como nova oportunidade para a comunidade. Seu Edinho tomou à frente e, com um grupo de moradores, foi capacitado. "Mudou muita coisa. A gente não tinha condição financeira. Trabalhava só para ter o alimento. Mas a apicultura nos dá uma visão muito boa", afirma.

Outro projeto que "bebe" das águas do Acaraú são os Perímetros Irrigados Araras Norte e Baixo Acaraú. O último é responsável por uma produção anual de 24 mil toneladas de frutas, entre as quais, banana, coco, mamão e melancia. Sozinho, o Baixo Acaraú movimenta R$ 2 milhões por ano.

A maior parte da produção deste perímetro vai para o exterior, ao contrário do Araras Norte, que abastece São Benedito, Fortaleza, Sobral, Tianguá e Teresina. Nos dois perímetros são cerca de 650 produtores. Número este pequeno em relação aos outros projetos no Ceará. Para o gerente administrativo-financeiro do Baixo Acaraú, Francisco de Assis, ainda há pouca representatividade no mercado, devido à grande quantidade de frutas de fora, e uma área plantada relativamente pequena.

"Menina dos olhos"

A carcinicultura é, talvez, a atividade mais controvérsia realizada nesta bacia, não eximindo a ação predadora da agricultura realizada às margens do rio, devastando, assim, a mata ciliar, dentre outras. A verdade é que não há meio termo quando se fala no cultivo de camarão marinho: há os que defendem e os que reprovam.

A atividade é realizada na área considerada "a menina dos olhos" do meio ambiente: o estuário. Isso porque é o berço da diversidade. "Ele representa a base de uma complexa cadeia alimentar para o Litoral Oeste do Estado. É o berçário de espécies, produz matéria orgânica e nutrientes para dar suporte à atividade pesqueira e à qualidade de vida das comunidades", explica o professor Jeovah Meireles, do Departamento de Geografia da Universidade Federal do Ceará (UFC).

A mesma justificativa é dada pelo diretor técnico da Associação dos Carcinicultores da Costa Negra (ACCN), Clélio Fonseca, sobre a escolha da região para a produção de camarões. "A região tem um diferencial do meio ambiente que oferece muitas riquezas naturais", esclarece.

Ele diz que as empresas da região da Costa Negra, zona costeira formada pelos Municípios de Cruz, Acaraú e Itarema, em breve, não utilizarão produtos químicos para o cultivo do crustáceo. "Com a certificação do camarão da Costa Negra, as empresas vão adotar, e algumas já estão adotando, procedimentos únicos e que fazem uso de produtos orgânicos. Não utilizando nenhum produto químico e antibiótico. Tudo isso será banido do nosso modelo de produção".

Em um diagnóstico realizado pelo Ibama, em 2005, entre os principais questionamentos sobre a atividade, estão a ocupação de uma Área de Proteção Permanente (APP); a degradação do ecossistema manguezal, da mata ciliar e do carnaubal; contaminação da água por efluentes; extinção de áreas de mariscagem, pesca e captura de caranguejos; disseminação de doenças; expulsão de marisqueiras e pescadores de sua área de trabalho, dentre outros.

O complexo estuarino, além da importância ambiental, é fonte de renda e alimento para muitas comunidades, como a do Curral Velho, em Acaraú. A área está vinculada aos sistema ambientais que amortecem os danos do aquecimento global, por exemplo. "O manguezal tem a função local de proteger a zona costeira da erosão mais acelerada, e de forma global, captura do dióxido de carbono", explica Jeovah Meireles.

Segundo Clélio Fonseca, há uma preocupação dos produtores da região em manter a qualidade da água e do estuário. "Nós fazemos um auto-monitoramento constante, até porque nós precisamos de um ambiente saudável. Verificamos os parâmetros físico-químicos e biológico da água todos os dias, para não causar dano ao meio ambiente e impacto ao próprio cultivo de camarão", afirmou.

Sustentabilidade

De todos os lados, o discurso para o desenvolvimento é o mesmo: ninguém tem nada contra. Mas há distância entre este processo e a sustentabilidade? Enquanto não há solução à vista, outra ameaça de ocupação chega ao Curral Velho, desta vez com a energia eólica. "Temos o marisco em boa quantidade. Tem gente que vive só disso. E é lá onde querem passar a energia eólica. Não vamos liberar a nossa fonte de alimentação para uma pessoa e a comunidade ficar de mãos vazias", diz o presidente da Associação dos Pescadores e Marisqueiras do Curral Velho, José Edson de Sousa.

A empresa argentina Impsa Wind, ganhadora do leilão realizado em 2010 pela Empresa de Pesquisa Energética, do Ministério de Minas e Energia, vai instalar seis parques de energia eólica em Acaraú. Com as novas usinas, o Ceará passa a liderar área no País.

Segundo o diretor de Engenharia e Construções da Impsa Wind, João Junqueira, os parques serão edificados na Lagoa Seca, Ventos do Oeste, Araras, Garças, Buriti e Coqueiros. "Já realizamos o estudo de impacto ambiental, audiências públicas e já foi aprovado pelo Conselho Estadual de Meio Ambiente (Coema)". A empresa busca, agora, financiamento das obras, que deverão ficar prontas até junho de 2012.

A comunidade do Curral Velho denuncia que, apesar de ter sido convidada para a audiência que discutiu a instalação das usinas eólicas, foram impedidos de participar. "Fomos violentados, impedidos de entrar na audiência", disse a marisqueira Maria do Livramento. (E.L.)

Enquete
Importância

"Quando estamos comendo o camarão da carcinicultura, estamos comendo a biodiversidade, a qualidade da água e outros"

Jeovah Meireles
Professor do Dep. de Geografia da UFC

"90% da mão-de-obra da fazenda de camarão não exigem mais que a 4ª série. A gente ainda emprega a mulher do pescador"

Clélio Fonseca
Diretor técnico da ACCN

CONFLITO
Produzir e preservar

Acaraú. Uma relação conturbada se estabeleceu desde a instalação dos primeiros empreendimentos de carcinicultura (foto) no estuário do Rio Acaraú. De um lado, empreendedores ocupam espaços de preservação permanente com a promessa de geração de emprego e renda.

De outro, a comunidade luta pelo pedaço de chão e de rio, de onde tiram o sustento e o alimento das famílias e da cultura do lugar. "A gente conseguiu o barramento deles aqui. Já foram derramados suor, sangue, lágrima e, graças a Deus, hoje a gente ´tá´ com esse pedaço de chão", afirmou o presidente da Associação dos Pescadores e Marisqueiras do Curral Velho, José Edson de Sousa.

Estudos realizados nos EUA e Tailândia, de matriz economicista, publicados na revista "Science", da American Association for the Advancement of Science, divulgaram os valores das externalidades negativas embutidas na atividade, como a degradação e a poluição. Os custos para a recuperação são altos.

Os valores econômicos gerados por hectare nas fazendas de camarão é de US$ 8,340 e para preservar o manguezal em torno de US$ 823. Os valores sociais calculados pela pesquisa mostram que as externalidades custam um déficit de US$ 5,443 e custos de US$ 35,696 para recuperar cada hectare de manguezal.

"Só se pensa na carcinicultura na geração de emprego e renda, que é um mito. Se gera seis vezes menos empregos do que declaram os empreendedores", diz Meireles.

Segundo Fonseca, na região da Costa Negra são "em torno de três profissionais por hectare, em empregos diretos e indiretos". Mas, o diagnóstico do Ibama define no estuário do Acaraú 0,58 empregos/ha, mais de 3 vezes menos do que diz a Associação Brasileira de Criadores de Camarão. (E.L.)

Demanda Hídrica

190 milhões m³/ano é a demanda hídrica de irrigação da Bacia Hidrográfica do Acaraú, representando 84% do total. Para o consumo humano, a demanda é de 15% e 1% para a indústria.
Diario do Nordeste

ESPECIAL RIO ACARAÚ: Degradação ambiental compromete curso das águas

NATUREZA E DESENVOLVIMENTO

Com um passado de glória, o Rio Acaraú hoje vive em alerta contra a poluição, desmatamento e extinção de espécies

Monsenhor Tabosa. Um rio morto. Esta foi a constatação que diversos estudiosos, pesquisadores e moradores do Rio Acaraú fizeram sobre ele. O lixo e o assoreamento, decorrente do desmatamento da mata ciliar e da retirada da calha, são os dois "bichos-papões" do rio.

Muito lixo e esgoto encontrados embaixo da ponte, em Sobral.

Em Monsenhor Tabosa, barragem do rio está desativada

Este gigante de 375km de extensão, no entanto, sobrevive e faz viver muitas famílias, Municípios, animais, matas e a Zona Norte, como pode ser visto no percurso da nascente à foz. Ele é também o principal da bacia hidrográfica que leva seu nome.

Surge timidamente. A cada gota de água brotada do chão ou caída sobre as pedras próximas às nascentes, o Rio Acaraú vai tomando sua forma. Suas duas nascentes estão localizadas na Serra das Matas, no Município de Monsenhor Tabosa, a 306km de Fortaleza. O local é considerado o ponto mais alto do Estado, com 1.145m de altitude.

O primeiro trecho do leito do Acaraú já foi sinônimo de fartura, devido a sua boa água para cultivo. "Há 40 e poucos anos era tudo lindo. Engenhos de cana, plantações de banana. Hoje não se planta mais nada, ´tá´ tudo devastado", conta o comerciante Fernando Ferreira de Melo. Sua queixa se repete ao longo do Acaraú.

Em estudo realizado pelos professores Marcos José Nogueira de Sousa e Maria Lúcia Brito da Cruz, da Universidade Estadual do Ceará (Uece), "Análise geoambiental e mapeamento das áreas degradadas susceptíveis à desertificação na Bacia Hidrográfica do Acaraú", é constatado que "a especulação imobiliária, o desenvolvimento do turismo e da carcinicultura, o crescimento desordenado dos núcleos populacionais, o incremento agroindustrial, o manejo de irrigação nos agropólos - perímetros irrigados - como Araras Norte e Baixo Acaraú, a incorporação de terras para agricultura, desmatamento, ablação dos solos e a desertificação estão entre os principais problemas de degradação ambiental".

A professora e pesquisadora Maria das Graças Farias Medeiros, filha de Tamboril, testemunhou o tempo de glória da sua região por conta das águas do Acaraú. Agora se debruça em trabalhos de pesquisa e sociais para resgatar o rio. "Quando a tâmara florescia, indicava um bom inverno. A gente tinha um rio verde e hoje é mais plantação de capim", afirmou.

As cenas de devastação não se restringem, no entanto, à plantação de capim. Além dela, queimadas nas margens, retirada desordenada de areia, muito esgoto despejado nas águas do Acaraú preocupam moradores e gestores.

Nos 13 Municípios visitados, a realidade do rio é a mesma, e em alguns casos pioram devido às atividades econômicas e práticas desordenadas. Em Tamboril, na passagem molhada que corta a cidade, a água não passa por lá, decorrente da destruição e também da estiagem do ano que findou.

Em Varjota, onde está localizado o principal reservatório da Bacia Hidrográfica do Acaraú, o Açude Paulo Sarasate, o assoreamento também já prejudica a atuação do açude conhecido como Araras. O reservatório perdeu 15% de sua capacidade devido ao fenômeno. O "Araras" é responsável por tornar o Rio Acaraú perene.

Apesar da grande quantidade de macrófitas no espelho d´água, em Sobral, e uma das margens do rio está coberta de lixo e de esgoto sendo despejado diretamente no Acaraú, o diretor técnico da Saae, José Alberto Rodrigues de Andrade, afirmou que "o esgoto que cai no Rio hoje é das lagoas de tratamento. Não é água potável, mas serve para irrigação".

Com tantas mudanças no trato do rio, a consequência foi quase o total desaparecimento da mata ciliar e dos animais que viviam à sua margem. A vegetação predominante é a Caatinga. A mata ciliar que resta no Acaraú pode ser vista na margem do leito do médio e baixo curso do rio. Durante as cheias, muitos Municípios sofrem com inundações e enchentes devido à descaracterização do leito dos rios. A água vem descendo e, não encontrando seu caminho, ocupa outros espaços.

Quanto aos animais , há registro de papagaios, preás, canários, cutia, guaxinim, onça, raposa, veado, caititu, jacu, seriema, garças, afora os peixes e mariscos. Infelizmente, a incidência desses bichos têm caído a cada dia. "A gente encontra ainda, mas é difícil porque estão todos em extinção", contou o presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica do Acaraú (CBHA), Alexandre Bessa Cavalcante.

No estuário - espaço em que o rio se encontra com o mar -, preferencialmente nos bancos de areia e canais que fazem intercomunicação com o apicum, a extração de mariscos é feita diariamente pelas famílias. Lá são encontrados unha de velho, búzios (Anomalocardia brasiliana), concha e intã (Donax striatus). (E.L.)

Próximo ao porto de Acaraú, na foz do rio, a reportagem flagrou

queimadas na mata. A cena foi corriqueira durante o percurso

Os problemas encontrados na Bacia Acaraú

A bacia do Rio Acaraú apresenta uma significativa diversidade ambiental, incluindo enclaves de serras úmidas, sertões, vales e ambientes litorâneos. Alguns problemas ambientais e de impactos negativos são comuns a esses ecossistemas. Outros adquirem peculiaridades próprias de cada um.

Dentre os problemas, destacam-se: desmatamentos desordenados, degradação da biodiversidade, erosão dos solos, queimadas, caça predatória, degradação de nascentes fluviais, deterioração do patrimônio natural, desequilíbrios ecológicos, expansão da desertificação, poluição dos solos e dos recursos hídricos, a degradação dos manguezais na área estuarina, degradação das matas ciliares das várzeas e das matas úmidas nas serras; expansão dos processos de desertificação nos sertões.

Eles afligem quase toda a população da bacia e têm sérias repercussões na qualidade de vida das populações rural e urbana. Nas ações a serem empreendidas, as propostas de curto, médio e longo prazos devem ser implementadas para a prevenção e recuperação das áreas mais vulneráveis às secas e à degradação ambiental; estimular a organização dos comitês de bacias para melhor gerir as disponibilidades dos recursos hídricos; incentivar as práticas de educação ambiental; contribuir, enfim, para a articulação entre órgãos governamentais e não governamentais, visando um estilo de desenvolvimento compatível com as necessidades de conservação ambiental e com equidade social desta que é a segunda bacia hidrográfica mais importante do Ceará.

Em Cruz, o pescador Pedro de Noé de Araújo tentar fisgar algumas piabas para complementar alimentação, mas reclama da salinização

da água no trecho que passa na cidade

*Geógrafo, doutor em Geografia Física pela Universidade de São Paulo (USP) e professor titular da Uece. Atua na área de Geociências, com ênfase em Geomorfologia. É um dos autores da pesquisa "Diagnóstico Geoambiental da bacia hidrográfica semiárida do Rio Acaraú: subsídios aos estudos sobre desertificação".

*Marcos José Nogueira de Sousa

Diario do Nordeste

ESPECIAL RIO ACARAÚ: O gigante


Ele nasce no ponto mais alto do Ceará, a Serra das Almas, em Monsenhor Tabosa. O local abriga também a nascente do Rio Quixeramobim. Na comunidade Belmonte, duas nascentes bastante degradadas dão início ao rio. Sua extensão de 315km corta o Ceará no sentido sul-norte. Tem como principais afluentes os rios Groaíras, Jacurutu, Macacos e Jaibaras. O Rio Acaraú, propulsor do desenvolvimento de toda a Zona Norte, drena 28 Municípios. Destes, 13 foram visitados pela nossa equipe de reportagem. Em cada cidade, seres humanos, recursos naturais e setores econômicos formam uma das principais bacias hidrográficas do Estado: a do Acaraú.

Marco - Projeto de irrigação

Neste Município está localizado o segundo perímetro irrigado da Bacia, o Baixo Acaraú. Nos 8.335 hectares distribuídos no Municípios de Bela Cruz, Acaraú e Marco são produzidas diversas frutas. Além das belas frutas, a atração deste local é a barragem. Neste trecho, o volume de água parece aumentar. A produção é destinada, principalmente, para exportação. O destaque fica nas culturas de mamão, melancia, melão e abacaxi. O Baixo Acaraú é administrado por uma associação dos produtores e recebe assistência técnica da Secretaria de Agricultura do Estado e do Ministério da Integração Nacional.

Sobral - Lixo e esgoto

Sobral carrega consigo muitas estrelas: é um dos principais Municípios do Estado em desenvolvimento; possui universidades e figuras ilustres. Todo o seu florescer se deu logo ali, na margem do Rio Acaraú. Infelizmente, também é a cidade que mais o polui. Mesmo com 70% de cobertura de esgotamento sanitário, sozinho é responsável por despejar toneladas de esgoto e lixo diariamente. Um dos principais cartões-postais da cidade denuncia a urgência nos cuidados: a presença de macrófitas no espelho-d’água. A cidade tem desenvolvido, no entanto, ações a médio e longo prazos para tratar melhor o rio.

Santana do Acaraú - Paisagem Urbana

Os moradores de Santana do Acaraú têm o privilégio de ter o rio bem ali, logo à porta de casa. O Acaraú passa na zona urbana, possibilitando lazer e renda para a população. Infelizmente, estas funções não têm sido aproveitadas devido à quantidade de lixo e esgoto acumulados no braço que passa nesta cidade. Mesmo assim, alguns banhistas e lavadeiras arriscam em tomar banho e lavar roupas nas águas sujas. E acabam dividindo o espaço com bichos que passam para se refrescar ou beber água.

Cariré - Diversão e lazer

Enquanto aguardam as mães lavarem roupa, meninos e meninas se divertem no Rio Acaraú. Nadar, brincar e jogar vôlei fazem parte do repertório de lazer para as comunidades ribeirinhas. Eles dizem que no final de semana é sempre mais movimentado. Durante a semana, somente quem não tem aula vai para o rio. Quando o leito está cheio, os saltos são a grande pedida. Enquanto às chuvas não vêm com frequência, a opção é improvisar um quadra de vôlei. Independente da quantidade de água, a diversão está garantida. As opções de balneários aumentam a partir deste trecho do rio.

Varjota - Perímetro Irrigado

O Açude Araras é o principal reservatório da Bacia do Acaraú e possibilita múltiplos usos para as populações que vivem no seu entorno: pesca, navegação, lazer, abastecimento, irrigação, além de produção de energia. Localizado no Município de Varjota, o açude é responsável pela perenização do Rio Acaraú. Em dezembro, sua capacidade marcava cerca de 455 mil metros cúbicos. Atualmente, abriga mais de 400 gaiolas de piscicultura, podendo receber em breve mais 1.000 gaiolas. Abastece dois perímetros, o Araras Norte e o Baixo Acaraú.

Monsenhor Tabosa - Nascente do rio

A Serra das Matas, no Município de Monsenhor Tabosa, é o ponto mais alto do Ceará, com 1.145m de altitude. E é onde estão localizadas as duas nascentes do Rio Acaraú. O local era reduto de povos indígenas já extintos, mas com herança fincada no local. Centenas de famílias ainda hoje vivem da agricultura de subsistência. Há 40 anos era sinônimo de fartura. Canaviais e uma diversidade de frutas podiam ser encontrados nas baixas, responsáveis por abastecer os Municípios vizinhos. Hoje, estão ameaçadas pela devastação e poluição. A criação de uma Unidade de Conservação neste local pode ser a garantia de sua existência.

Acaraú - Estuário

Neste Município está localizada a sua principal riqueza: o estuário. É aquela região onde há o contato entre as águas do rio e do mar. É aqui, também, onde está localizado um dos principais ecossistemas existentes, o manguezal - a transição entre ambientes terrestre e marinho. “Ali é o berçário das espécies, é onde se produz matéria orgânica, nutrientes para dar suporte à atividade pesqueira e a qualidade de vida da comunidade ribeirinha”, define o doutor em Geografia, Jeovah Meireles. O espaço é disputado por pescadores, marisqueiras e carcinicultores.

Bela Cruz - Por entre as terras

Este Município é uma das quatro cidades da bacia do Acaraú que receberm Selo Município Verde, categoria C, em 2010. Tem realizado um programa ambiental que, entre várias ações, distribui ecobag para diminuir o consumo de sacolas plásticas. A comunidade de Varjota, zona rural deste Município, vê bem de perto o leito do Rio Acaraú passar. São cerca de 200 metros da porta de casa. Mesmo estando com pouca água, o lugar oferece oportunidade para pescar e se refrescer. Neste trecho do rio, a água parece mais limpa e chega a ser cristalina. Pena que está proibida para o uso desta comunidade. Os proprietários das terras que a água corta cercaram o trecho ou proibiram expressamente a utilização do rio.

Cruz - Deserto no leito do rio

Neste trecho do rio, podemos andar vários metros de uma margem a outra sem água e com muita areia. Embaixo da ponte de 162 metros não passa mais tanta água assim. E pensando nos problemas ambientais, a Secretaria de Meio Ambiente deste Município realiza desde 2002 diversas ações para contribuir com a recuperação do rio e de outros setores. A coleta seletiva é uma realidade nesta cidade. Livros e cartilhas são distribuídas na escola para conscientização dos estudantes.

Morrinhos - Cidade

A ocupação urbana em direção às margens do Rio Acaraú neste Município não ocorreu na mesma proporção que as outras 12 cidades visitadas. Segundo o Censo 2010, do IBGE, a população urbana é de 9.615 habitantes. Outro fator que contribui para que as famílias morem distantes da margem é a topografia local, bastante íngreme. Enquanto isso, os moradores aproveitam o final de semana para se deliciar nos balneários da região ou mesmo na passagem molhada ali próxima ao centro da cidade. A partir daqui o Rio ganha uma bifurcação, fácil de percebê-la na chegada ao Município de Marco.

Groaíras - Lazer e preservação

No limite entre Cariré e Groaíras, o Rio Acaraú banha um trecho e agracia os moradores e turistas com uma ótima opção para banho. É lá que se encontra o balneário Cabana do João. Além da margem, os banhistas podem usufruir de uma barraca provisória instalada bem no leito do rio. Pode-se comer um aperitivo e molhar os pés ao mesmo tempo. O proprietário, João Batista do Nascimento, diz que a extensão permanece durante 4 meses no leito, “durante o verão, que não chove”. Para não agredir o meio ambiente, ele diz que a armação é toda feita de forma natural, com troncos e palhas, e que faz um trabalho de conscientização com os clientes para recolher o lixo.

Hidrolândia - Ilha do Ezaú

A Ilha do Ezaú só se torna ilha na época de cheia do Açude Araras. Na época de pouca água tem ligação com o Município de Hidrolândia. Cerca de 83 famílias moram no local e sobrevivem da pesca, do plantio e, agora, do cultivo de abelhas. Mas é a piscicultura a principal atividade da comunidade. O trabalho artesanal também faz parte da rotina da comunidade. Várias mulheres executam diariamente o vai-e-vem de linhas para produção de redes em suas calçadas.

Tamboril - A origem do local

A Barragem Pedra e Cal, localizada na sede deste Município, desviava o leito do Rio Acaraú tempos atrás. Segundo contam os moradores de Tamboril, o ilustre morador capitão Luiz Vieira de Souza, dono de muitas cabeças de gado e fazendas na região, queixava-se da estiagem que assolava o local na grande seca de 1777. Em promessa a sua santa padroeira, prometeu construir uma barragem, caso escapasse da seca. Logo tornou-se um dos principais reservatórios da região no século XVIII. Sem água, atualmente a barragem resguarda apenas o seu valor histórico. No local foi flagrado plantação de capim e construções irregulares.
Diario do Nordeste

ESPECIAL RIO ACARAÚ: RIO DAS GARÇAS

Rio Acaraú significa Rio das Garças na Língua Tupi, que traz uma junção das palavras "Acará" (garça-branca-grande) e "Hu" (água), nome muito bem divulgado pelo ilustre escritor cearense José de Alencar. Oferecendo um roteiro instigante para conhecer o Ceará a partir das perspectivas históricas, econômicas, sociais e ambientais, este rio é fonte perene para esta reportagem especial. O Diário do Nordeste percorreu, em 10 dias, 13 Municípios da Zona Norte do Estado, que são cortados pelo rio. Foram 1.808 km de descobertas e encantamentos, não só pelo cenário natural, constituído pelo próprio rio, a fauna e a flora, mas, também, pela população que sobrevive e tem suas vidas ligadas e condicionadas à existência do grande Acaraú.

Os caminhos traçados pelo Rio Acaraú

Os rios sempre tiveram papel fundamental para o Ceará. São fontes de renda, de alimento, de água, de vida. À época da colônia, traçaram os caminhos para que descobridores, estrangeiros ou exploradores chegassem ao sertão. Em suas margens foram formados os arraiais, depois as fazendas de criação, os lugarejos e, logo em seguida, as primeiras cidades. O Rio Acaraú foi um destes rios que ajudou a escrever a história do Ceará.

O Acaraú ou Rio das Garças, citado por José de Alencar em Iracema, teve sempre a abundância como característica. Hoje, vive o dilema de acumular lixo, esgoto e danos ambientais. Desmatamento, queimadas, assoreamento e desertificação são alguns dos fenômenos que preocupam pesquisadores, ambientalistas e gestores.

Hoje, quem viveu o tempo de glória deste rio, localizado na Zona Norte do Estado, tenta reescrever sua história. Projetos tentam equilibrar a relação entre rio, pessoas e empresas, com foco na sua proteção e preservação. Os animais que ainda povoam seu leito, anunciam que a vida ainda é latente naquele espaço. Mesmo com tantos desafios a enfrentar, o Rio Acaraú vai cortando, embelezando, florindo e descortinando as cidades por onde passa.

Quem visitar suas margens vai encontrar mosaicos de roupas lavadas; peixes fresquinhos nas redes e tarrafas; mariscos nos baldes de homens e mulheres; e crianças, muitas crianças brincando em suas águas. Perto de regiões serranas ou mais próximo do mar, o sentimento de quem bebe desta água é o mesmo do pescador José Edson de Sousa: "ele é o pai dessas comunidades, porque ele traz pra nós a nossa fonte de alimentação".
Diario do Nordeste

sábado, 22 de janeiro de 2011

Chuvas em Acaraú

Choveu em Acaraú desde às 18:00 horas desta sexta, 22, até as primeiras horas deste sábado. O Tempo continua nublado com grandes chances de muita chuva durante o fim de semana.

Até o dia de ontem, 22, choveu 247,2 mm em Acaraú. Já no distrito de Aranaú choveu 238,6mm e no distrito de Lagoa do carneiro já choveu 201,4mm.

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

3ª CREDE realiza solenidade de início da nova Gestão (2011-2014)


Realizou-se, no dia 18 de Janeiro de 2011, no auditório de 3ª CREDE (Acaraú), a Solenidade de Início da nova Gestão desta Coordenadoria (2011-2014), que reconduziu ao Cargo de Coordenador da CREDE o Professor Daniel Carlos da Costa.

A mesa de autoridades foi composta (na foto, da esquerda para a direita) pela Diretora da EEM Carminha Vasconcelos (Morrinhos), pelo Prefeito do município de Morrinhos, Sr. Jerônimo Neto Brandão, pelo Secretário Executivo da SEDUC, Sr. Idilvan Alencar, pelo Coordenador re-empossado da CREDE, Professor Daniel Carlos da Costa e pela Secretária Municipal de Educação do município de Morrinhos, Professora Vera Vasconcelos.

A Solenidade contou ainda com a participação de outras autoridades políticas, diretores das Escolas Estaduais, técnicos da CREDE de demais convidados.