Você Repórter!

Você Repórter!

terça-feira, 29 de novembro de 2016

Acaraú e mais 34 municípios do Ceará não têm focos de Aedes aegypti

Em dezembro começa a pré-estação chuvosa. Aliada ao fim de gestões e descontinuidade de ações administrativas, aumenta o risco de crescimento de infestação do mosquito Aedes aegypti - transmissor da dengue, chikungunya e zika vírus. A preocupação dos técnicos é com a possibilidade de interrupção do trabalho preventivo e de combate aos focos do vetor.

De um total de 111 dos 184 municípios cearenses, que realizaram Levantamento Rápido de Índice para Aedes aegypti (LIRAa), 12 (10,81%) apresentaram alta taxa; 32 (28,83%) estão em situação média e 67 (60,36%) estão em situação satisfatória. Chamam a atenção os 35 municípios com índice de infestação zero, entre eles Acaraú, Cruz, Bela Cruz, Marco, Jijoca de Jericoacoara, Itarema, Amontada e Santana do Acaraú.

Segundo a Sesa, neste ano o Ceará tem 35.122 casos confirmados de dengue, com 25 óbitos; 27.333 de chikungunya, com 14 óbitos; e 1.929 de zika, 93 deles em gestantes. Dos 150 casos de microcefalia confirmados no ano, em 24 houve identificação do vírus zika. O boletim epidemiológico da Sesa informa que os casos de dengue do tipo grave caíram 65,51%, de 116 para 40, de janeiro até a primeira semana de novembro deste ano comparados a igual período de 2015. Os casos da doença com sinal de agravamento (DCSA) também tiveram redução neste ano frente ao resultado das mesmas semanas de 2015.

Com Informações do Diário do Nordeste

0 comentários:

Postar um comentário