Você Repórter!

Você Repórter!

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Artista autodidata de cruzense ganha seguidores com suas charges animadas

João Filho, da cidade de Cruz, trabalha como locutor publicitário e guia turístico em Jericoacoara. No tempo livre, toca a página Humor na Rede

Inspirado por um momento engraçado em um campeonato de futebol que aconteceu em sua cidade, o locutor publicitário João Filho produziu uma charge e publicou em suas redes sociais. O vídeo fez sucesso entre os moradores de Caiçara, distrito de Cruz, onde João mora, e a partir daí ele começou a produzir mais animações e criou a página Humor na Rede, para divulgar seu trabalho, em 2015. Atualmente a página reúne mais de 1.500 seguidores.

João Filho nasceu no município de Marco. Além de fazer animações, ele trabalha como locutor publicitário e guia turístico em Jericoacoara.

A crise econômica, as características do interior do Ceará, como o clima quente, mas principalmente os acontecimentos envolvendo os principais políticos do Brasil são os temas que pautam as animações produzidas por João Filho, que não fez nenhum curso específico para aprender a fazer as charges animadas.

“Qualquer coisa que esteja sendo muito comentada aqui na comunidade, eu busco ver do que se trata e faço uma animação a respeito, que ai vai aguçar o interesse das pessoas em assistir os vídeos”, esclarece.


Ele explica que sempre teve vontade de fazer um curso de animação, mas não teve a oportunidade, então ele “se virou” para aprender sozinho, com tutoriais. “Aprendi estudando muito, vendo muito desenho animado, lendo muito gibi e principalmente lendo revistas de tutoriais que ensinavam técnicas de animações e desenhos. Aprendi muito na internet também, vendo vídeos tutoriais”. 

João não fez nenhum curso de animação, mas fez um curso onde encontrou algo que pode ser mais importante que a técnica, pessoas que ele considera serem do mesmo mundo que ele, do mundo artístico, que o inspiraram e que o fizeram ter novas descobertas. Ele fez um curso de Belas Artes pelo grupo Unis, Centro Educacional do Sul de Minas.

“Foram pessoas que me identifiquei bastante, pois tinham gostos parecidos com os meus e essas mesmas pessoas tinham o conhecimento bem elevado ao meu, então através do contato com elas eu passei a descobrir coisas novas”, ressalta.

O processo de criação das animações não é fácil e requer paciência. João faz uma comparação com um estúdio de animação profissional, em que as tarefas (criação de cenário, criação de personagens, roteiro, dublagem de personagens, entre outros) são divididas entre diversas pessoas e ele não tem uma equipe para dividir todas essas tarefas, ou seja, faz tudo sozinho.

Tribuna do Ceará

0 comentários:

Postar um comentário