11Bets+

Volta às Aulas Papelix

Papelix

Pesquisar no blog

Você Repórter!

Você Repórter!

quarta-feira, 29 de novembro de 2017

Acaraú e Itarema estão entre os maiores produtores de atum do estado

Estão sendo construídas, em Itarema e Aracati, mais de 30 embarcações para a pesca de atum. Cada uma está avaliada em R$ 600 mil. Além disso, o governo liberou recursos para equipar os barcos com um sistema de monitoramento online

Com a crise hídrica se arrastando há alguns anos no Ceará, o governo do Estado tem buscado alternativas que possibilitem o desenvolvimento de cadeias produtivas. É o caso da pesca do atum, que vem ganhando notoriedade nos últimos dois anos com a implementação de ações com o objetivo de tornar o pescado referência em qualidade no País. Para tanto, o Estado está investindo em tecnologia e capacitação de pescadores.

Segundo a Secretaria de Agricultura, Pesca e Aquicultura (Seapa), são produzidas cerca de 12,4 mil toneladas de atum por ano. "Nós estamos produzindo 1 milhão de quilos por mês. O atum é uma pesca nova no Ceará e já é uma das atividades mais importantes atualmente", explica o secretário da Seapa, Euvaldo Bringel.

De acordo com ele, estão sendo construídos nos municípios de Itarema (litoral Oeste) e Aracati (litoral Leste) mais de 30 barcos de pesca de atum. "Cada embarcação custa em média R$ 600 mil e estamos criando caminhos para a indústria escoar a produção. Paralelo a isso, desenvolvemos junto com o pessoal de Itarema um porto para receber os barcos. Já temos recursos liberados pelo governo estadual de R$ 1,1 milhão, para equipar as embarcações com um sistema de monitoramento online.

Com os investimentos, as embarcações ampliaram a capacidade de armazenamento. "Nos últimos dois anos foram construídos 30 barcos. Esses equipamentos tem uma evolução em relação ao barco lagosteiro. Os barcos de atum têm seis beliches, com cozinha e toda estrutura adequada para os pescadores", ressalta o secretário.

Ações

A cadeia produtiva do atum emprega atualmente entre 600 e 800 pescadores no Estado e, de acordo com o secretário, ainda há muito a ser feito. Neste sentido, a Seapa reuniu durante um seminário pescadores para discutir ações imediatas e a longo prazo. De acordo com levantamento da Seapa, Camocim, Acaraú, Itarema, Fortaleza, Fortim, Aracati e Icapuí são os maiores produtores de atum do Estado. A Secretaria também afirma que no Ceará são ao todo cinco indústrias de congelamento do pescado e uma indústria conserveira.

Além do mercado cearense, o secretário diz que grande parte da produção de atum é escoada para São Paulo, Rio de Janeiro e Piauí. Segundo ele, o preço médio do quilo do atum para sushi custa até R$ 23,00 no pescador. "Já o atum comum varia de R$ 6 a R$ 10 o quilo", afirma.

Blog O Acaraú com informações
do Diário do Nordeste

0 comentários:

Postar um comentário