Promoção Féria com Leitura da Papelix

sábado, 14 de abril de 2018

Investigado por homicídios em Fortaleza e Itarema é preso

Após uma investigação capitaneada pelo Departamento de Polícia do Interior Norte (DPI Norte) da Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) com o apoio da Coordenadoria de Inteligência da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), um dos homens suspeito de vários homicídios ocorridos em Itarema, foi preso no bairro Jardim Iracema, nesta sexta-feira, 13/4. Joabio Sousa de Andrade, 25, conhecido por “Patola”, é suspeito também de homicídios no bairro Vicente Pinzón, em Fortaleza. A prisão, efetuada pelo Batalhão de Policiamento de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (BPRaio) da Polícia Militar do Ceará (PMCE), é resultado da intensificação das forças de segurança no combate às ações criminosas organizadas na Região Norte do Estado. 

De acordo com o delegado Marcos Aurélio França, do diretor DPI Norte, “Patola” é um dos chefes e executores de uma organização criminosa que vinha cometendo homicídios, contra grupos rivais, visando aumentar o território de atuação no tráfico de drogas. Inclusive, ele é comparsa de Francinaldo Freitas de Oliveira, 29, conhecido por “Galego”, que foi preso no último dia 5 de abril, após uma operação deflagrada em Cruz, por crimes cometidos em Itarema. De acordo com as investigações, “Galego” está relacionado em pelo menos 19 homicídios ocorridos na região. 

Já em Fortaleza, no Vicente Pinzón, “Patola” é investigado, no mínimo, em seis homicídios que são apurados pelo 9° Distrito Policial (DP) e também pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). “Agora, com a prisão, vários inquéritos policiais serão concluídos em Itarema e também em Fortaleza”, destacou o delegado Marcos Aurélio. Contra o criminoso, que já responde por corrupção de menor e homicídio, havia um mandado de prisão preventiva expedido pela 3ª Vara do Júri da Capital, também por crime de morte, que foi cumprido durante a ação policial desta sexta-feira. Agora, ele está à disposição da Justiça.

Com informações da Secretaria de Segurança Pública

0 comentários:

Postar um comentário