Promoção Féria com Leitura da Papelix

segunda-feira, 23 de julho de 2018

Alianças partidárias ainda não estão definidas no Ceará

Existem discordâncias sobre o apoio de Camilo a Eunício

Partidos políticos iniciam nesta sexta-feira (20), as convenções partidárias nacionais que indicarão os candidatos à Presidência da República. O registro dos candidatos do pleito deste ano deve ser feito no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), até 15 de agosto. O período das convenções partidárias acontece entre 20 de julho a 5 de agosto. É o momento em que as agremiações definirão quem será candidato a presidente e vice, governador e vice, senador, deputados federais e estaduais. 

O PSOL vai realizar o encontro estadual para a definição dos candidatos no dia 28 de julho. A do PSDB será no dia seguinte, 29. O PSTU dia 2 de agosto e o PT e PDT marcaram suas convenções para o mesmo dia: 5 de agosto.

No Ceará, o cenário político ainda está com indefinições nas alianças partidárias. Mas para o Governo do Estado, há cinco nomes acertados: Camilo Santana (PT), o general Guilherme Theophilo (PSDB), Ailton Lopes (Psol), o advogado Hélio Góis (PSL) e o operário Gonzaga Filho (PSTU). Para o Senado, para a Câmara Federal e Assembleia Legislativa, os partidos ainda fecham os últimos nomes que serão confirmados nas convenções partidárias. 

A maior indefinição no momento é quanto aos nomes que o governador Camilo Santana, do PT, vai apoiar para o Senado. Um está praticamente definido: o ex-governador Cid Gomes, do PDT. O outro possivelmente será o atual presidente do Senado, Eunício Oliveira, do MDB. Mas há resistência do PDT nesta composição de chapa. "A disputa presidencial está atrelada às eleições estaduais. No Ceará, o presidenciável Ciro Gomes, do PDT, tenta se distanciar do MDB de Michel Temer", disse Igor Moura, cientista político. 

A campanha eleitoral tem início a partir de 16 de agosto, quando os candidatos podem ir às ruas pedir votos. No rádio e na TV, a propaganda partidária será mais curta, de 31 de agosto a 4 de outubro. "A Justiça Eleitoral estará de olho na publicidade abusiva", afirmou Daniela Lima da Rocha, coordenadora do Juizado Auxiliar da Propaganda Eleitoral. 

Com informações do CNews

0 comentários:

Postar um comentário