Promoção Féria com Leitura da Papelix

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2019

Arrecadação de royalties no Ceará dobra em 2018. Itarema arrecadou R$ 10,853 milhões

Mesmo com a redução de poços produtores de petróleo e gás no Ceará, o volume de royalties recebidos pelo Estado e pelos municípios praticamente dobrou de 2017 para 2018. No ano passado, o Estado recebeu R$ 14,413 milhões pela exploração de óleo e gás, um crescimento de 52,3%, enquanto os municípios cearenses produtores receberam R$ 106,729 milhões, alta de 103,4%. Ao todo, foram R$ 121,142 milhões em 2018, alta de 95,6% em relação a 2017 (R$ 61,928 milhões). 

Entre os fatores que contribuíram para o aumento dos royalties, o consultor na área de petróleo e gás, Bruno Iughetti, destaca o foco da Petrobras em priorizar os poços mais produtivos em detrimento daqueles com menor retorno potencial. “Ela está desativando os poços improdutivos, os mais maduros, e concentrando seus esforços nos mais produtivos. E esse ganho de eficiência está gerando mais royalties”, diz.

De acordo com o Anuário Estatístico Brasileiro do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis 2018, o Ceará tinha 236 poços em operação em 2017, sendo 210 em terra e 26 no mar. O número total é 7% inferior ao de 2016 e 35% menor do que há cinco anos, quando havia 366 poços produtores no Estado, gerando R$ 57,357 milhões para o Estado e aos municípios. Além de priorizar os poços mais rentáveis, a estatal está prospectando novos poços no mar e as perspectivas é de crescimento dos royalties para os próximos anos.

Hoje, os poços em operação no Ceará, todos classificados como maduros (com mais de 25 anos de operação), estão distribuídos em dois campos terrestres (Fazenda Belém e Icapuí) e seis campos na plataforma continental (Atum, Curimã, Espada e Xaréu). Em 2018, os municípios cearenses que mais receberam royalties foram Itapipoca (R$ 11,953 milhões), Trairi (R$ 11,501 milhões), Aracati (R$ 11,344 milhões), Itarema (R$ 10,853 milhões) e Icapuí (R$ 10,512 milhões). Entre os 11 estados brasileiros que recebem os recursos, o Ceará aparece na 10ª posição, à frente apenas do Paraná.

Com Informações do Diário do Nordeste

0 comentários:

Postar um comentário